Bem longe da Quinta do Monte Xisto, onde o rio Douro desagua no mar separando a cidade do Porto de Vila Nova de Gaia, o chamado “terroir” continua. É impossível dissociar o Douro do Porto e Gaia, historicamente interligados por razões socioeconómicas, climáticas e logísticas.

Acreditando na importância deste “terroir” complexo e na sua integração numa lógica orgânica que procuram seguir, desde a vinha até ao copo, estabeleceram-se num armazém em Gaia.

Depois da vinificação feita em V.N. de Foz Côa os vinhos são transportados para Gaia onde são envelhecidos, engarrafados e expedidos. O micro clima mediterrânico do Douro contrasta com o clima atlântico que tem as condições naturais ideais de temperatura e humidade para o envelhecimento dos vinhos.